Luiz Gustavo Guimarães - Curso de Oratória, Consultorias e Palestras

Assisti a palestra do Dr. Patch Adams e entendi porque o amor contagia

Mais que inspirar o lançamento de um filme, ele mudou o conceito de medicina mundialmente.

Por Luiz Gustavo Guimarães dia em Blog

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Você já assistiu este filme (Patch Adams – O amor é contagioso)?

Já viu em algum hospital, pessoas fantasiadas de palhaços para animar os pacientes e pensou: “Nossa, que atitude bonita, estão de parabéns”- mas ficou nisso e seguiu sua vida?

Bom, meu intuito aqui é lhe mostrar como um filme, baseado numa história verídica, pode lhe ajudar a tornar-se um ser humano melhor e importante aos que te cercam.

Assisti a palestra do Dr. Patch Adams e entendi porque o amor contagia

Em 2005, tive o privilégio de assistir em São Paulo, uma palestra que fez grande diferença em minha vida. Tanto pelo conteúdo, quanto pela possibilidade de ver ao vivo, alguém que inspira milhares de pessoas pelo mundo, mais conhecido como médico palhaço, o Dr. Patch Adams.

Antes, deixa eu te contar um pouco da história e serei o mais breve possível. O filme, retrata um pouco da vida de Hunter Doherty Patch Adams, uma pessoa aparentemente normal, que com algumas decepções na vida, entrou em depressão e tentou o suicídio. Felizmente não conseguiu pôr fim à vida e resolveu se internar por conta própria num hospital psiquiátrico.

Lá conheceu pessoas que aparentavam ter uma vida muito mais difícil que a sua, aos poucos começou ajuda-los em suas crises e notou que isso também fazia bem a si mesmo, percebeu que sua participação era muito mais eficaz aos pacientes, do que o médico de lá, que nem olhava em seus nos olhos. Saiu de lá, prestou vestibular para medicina, pois assim poderia ajudar muita gente. Passou, mas no decorrer dos anos, viu que algo não fazia sentido, médicos não se permitiam envolver ou conhecer de fato os pacientes, tratavam apenas como números, como “donos” da doença “a” ou “b” e começou do seu jeito a mudar isso.

Passou a usar novos métodos, o que não era bem visto pela “medicina”, mas pra ele não importava, já que tornava melhor o dia das pessoas, não só dos pacientes, mas ele sabia como impactar os que estavam a sua volta, a buscar sorrisos e melhorar a qualidade de vida. Uma das suas táticas era de se fantasiar de palhaço (algo que faz até hoje), daí o surgimento dos “Doutores da Alegria” (bem como todas as outras variações de nomes, tão importantes quanto), que tem a capacidade de transformar vidas e é neste ponto que quero chegar.

Em sua palestra, ele deixou claro que todos nós, estamos morrendo a cada dia, o que é uma verdade, fato, não precisamos pensar que apenas os que estão nos hospitais passam por isso e apesar de todas as dificuldades que temos, podemos tornar o dia de alguém melhor, podemos agir com simpatia, contar piadas, buscar sorrisos, pagar micos, enfim, sem mencionar a parte técnica da área médica e as competências que ele ou outros têm como profissionais desta área tão nobre, cada um de nós, pode se beneficiar com as inúmeras vantagens do sorriso e bom humor. Que vão desde uma pela mais saudável, uma vez que sorrir movimenta menos músculos na face do que uma cara fechada, até o aumento de endorfinas, substância natural que funciona como analgésico e estimula a sensação de bem-estar e conforto.

Em sua palestra, ele também aparece vestido de palhaço, o que só confirma a sua fala, cria conexão, torna o assunto leve, sem perder a seriedade do tema: “uma medicina mais humana”.

Gustavo, ok, entendo que este dia foi importante pra você, mas o que tem a ver comigo, com a minha vida?

Vamos lá, agora fica mais fácil explicar.

Responda rápido: Apesar das suas dificuldades, o que te impede de sorrir ou buscar sorrisos? De que maneira, você tem ajudado as pessoas à sua volta? Já percebeu que tornando o dia de alguém melhor, você torna o mundo melhor? Sabia que se você se permitir sorrir mais, alegrará as pessoas mais próximas à você?

Eu entendo e respeito o que quer que tenha acontecido contigo, não quero aqui impor nada e nem dizer o que deva fazer, estou aqui apenas para sugerir, lhe dar um outro ponto de vista, lhe convidar a buscar novos sorrisos, novas amizades, novas oportunidades, novos amores.

Claro que tem muito mais que isso, inúmeras experiências de vida e maneiras de aproveitar o dia e a vida, mas após conhecer melhor a história de Adams, assistir inúmeras vezes o filme com o intuito de aprendizado e não de entretenimento, somando isso aos meus valores, objetivos, cuidado com o próximo, missão e vontade de impactar positivamente as pessoas à minha volta, notei que com o tempo, tenho me tornado cada vez mais, alguém importante, sem ego ou vaidade, alguém que pode agregar na vida de outro ser humano, seja com um sorriso, com um ensinamento (ou conselho do que aprendi), ouvindo ou contando um piada, enfim, nada de propósito ou forçado, respeitando o meu tempo e agindo de maneira natural, sem dúvida, vejo o quanto isso torna os meus dias melhores, o quanto me faz bem e com isso, o quanto a minha qualidade de vida, alegra os que estão a minha volta e o quanto me alegro com a felicidade daqueles que amo.

Por fim, quero dizer que se há alguém que pode fazer a diferença em sua vida, é você mesmo. Pense em qual legado deixará ao partir, mas antes disso, pense em como ajudar e alegrar os que se beneficiam hoje da sua presença, ok?

Sou Gustavo Guimarães e caso tenha gostado deste conteúdo, tenha feito você pensar por um outro ângulo, lhe convido a baixar gratuitamente o meu e-book “Fale em Público já”, pois o primeiro módulo (mindset) é justamente sobre isso (para baixar agora, clique abaixo) e poderá lhe dar novas formas de pensar para uma comunicação mais saudável.

Abraço e sorrisos em sua vida.

BAIXE O SEU E-BOOK

Veja outros artigos relevantes aqui no blog. Minha sugestão para agora é: Nem na dor, nem no amor, aprenda com humor.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui: